Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

Voto com sentido

Votar é um acto íntimo de cidadania. Na privacidade da cabina de voto, cada um de nós faz o seu juízo acerca das propostas e dos candidatos que se apresentam a sufrágio e vota em consciência, e vota em liberdade, sabendo que o seu voto conta - esta é a essência da democracia.

 
Eu Voto          O voto é secreto, mas ninguém vota secretamente. O meu voto, no próximo domingo, não é, por isso, tabú. Da avaliação que faço da nossa política local, depois de assistir aos debates radiofónicos (faço jus ao belo serviço público que os meios de comunicação social locais prestaram!) procurarei votar com sentido.
          Para a Câmara Municipal apresentam-se basicamente dois candidatos: Salgueiro e Júlio Vieira. Representam, a desilusão e a esperança, a charlatanice e a seriedade, o calculismo e o voluntarismo, o conformismo e a capacidade de sonhar. Na acção política, Salgueiro tem muito de cigarra e Júlio apresenta bastantes traços de formiga. Salgueiro quer apenas votos para alimentar o seu ego e a sua estratégia de poder, Júlio precisa de votos de confiança para implementar o plano que desenhou para desenvolver o nosso Concelho. Um não vê mais além que o limite da sua própria sombra, outro vislumbra um horizonte que se confunde com o céu. O sentido do meu voto vai, assim, para Júlio Vieira. Dar-lhe-ei um voto de confiança.
          Para a minha Junta de Freguesia, os protagonistas são outros e o sentido do meu voto também. Estimo pessoalmente Rui Marto e José Cordeiro e felicito os dois por se disponibilizarem para servir a população da minha freguesia. Mas não tenho dúvidas quanto à capacidade de cada um para desempenhar a função a que se candidatam. José Cordeiro é um homem bom, de uma geração que lutou pelo desenvolvimento da freguesia mas cuja formação pessoal e profissional não se enquadra, do meu ponto de vista, nas competências exigidas a um presidente de Junta de uma Freguesia moderna como a de Alqueidão da Serra. Rui Marto, sendo mais novo e, por isso, pessoalmente menos maduro, desenvolveu competências profissionais que têm demonstrado ser de grande utilidade para o desenvolvimento da freguesia. Sem desmerecimento para com o Ti Zé Farinhas, darei o meu voto de confiança ao Rui Marto, porém, com um pequeno receio - que, confrontado com a necessidade de defender os interesses da Freguesia, ceda à chantagem que os seus correligionários lhe farão, necessariamente, em relação aos seus próprios interesses pessoais e legítimos. Por outras palavras, Rui Marto pode ficar com "o rabo preso". Dou-lhe, por isso, um conselho, se me é permitido: denuncie a chantagem, se existir e quando existir, e fale sempre verdade à população do Alqueidão. Rui Marto terá uma missão fundamental, do meu ponto de vista, que é resolver definitivamente o diferendo do Parque Eólico. Ironicamente, o problema surgiu com ele na Junta. Depois houve um equívoco de quatro anos chamado Salgueiro, Rui Marto continuou na Junta. Creio que está na hora dos legítimos herdeiros do problema, (Junta PS do Alqueidão e Câmara PSD) se sentarem à mesa, nos dias a seguir à eleição e fazerem um acordo extrajudicial, corrigindo assim um erro que ficará na história da Freguesia e do Município.
          Feliz, votarei, domingo, com sentido. Vote também.
 

Segue João Gabriel no TwitterVeja o meu Facebook

 

 

publicado por Joga às 00:01

link do post | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds