Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

A sua opinião conta

          A ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos propõe que os custos com as dívidas incobráveis da electricidade passem a ser pagos por todos, por via da tarifa. Até dia 7 de Julho próximo pode manifestar-se contra esta medida.

Participe na Consulta Pública          Os cerca de seis milhões de consumidores de electricidade em Portugal têm nas mãos o poder de evitar um novo agravamento na factura mensal da luz, protestando contra tal medida no âmbito da consulta pública que está a decorrer.
          A proposta de partilha dos custos das facturas incobráveis com os consumidores surge com a revisão regulamentar do sector.
          A introdução daquele tipo de custo no cálculo do preço final da electricidade não é defensável, na opinião da DECO- Associação de Defesa do Consumidor. Como em qualquer empresa, os chamados incobráveis são custos decorrentes do risco do negócio, que devem ser suportados pelas próprias empresas. Além de ser um sinal errado para os consumidores, as empresas dispõem de mecanismos contabilísticos para minimizar esses impactos.
          Um movimento nacional de protesto contra esta eventual alteração ao regulamento do sector energético está a circular na internet ao qual nos associamos.
          Participe também nesta reclamação colectiva enviando o seu protesto para consultapublica@erse.pt que pode ter, por exemplo,  o seguinte teor:

 

Exmos. Senhores:

Pelo presente e na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, venho manifestar e comunicar a V. Exas. a minha discordância, oposição e mesmo indignação relativamente à "proposta" – que considero absolutamente ilegal e inconstitucional – de colocar os cidadãos cumpridores e regulares pagadores a terem que
suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.
Melhores Cumprimentos,

Ou então clique Aqui.

publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De ZÉ DA BURRA O ALENTEJANO a 16 de Julho de 2008 às 15:33
Aparece agora a idéia absurda de repartir pelos consumidores de electricidade, cumpridores, os prejuizos das facturas da EDP não cobradas, i.e. os prejuízos do exercício da sua actividade. Pergunto: SERÁ QUE A PROPOSTA PREVÊ TAMBÉM DISTRIBUIR OS LUCROS???

Zé da Burra o Alentejano
De Ana Narciso a 6 de Julho de 2008 às 21:47
Eu já reclamei e mandei a todos os meus contactos da minha agenda electrónica. Era só o que faltava, pagar por aqueles que não cumprem!!

Comentar post

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds