Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Guerras do Alegrim e Manjerona

          A resposta do PS ao comunicado do PSD mais parecem uma nova versão das Guerras do Alecrim e Manjerona, uma ópera joco-séria datada de 1738 da autoria de António José da Silva (o Judeu). Como tomada de posição politicamente relevante, fica apenas o facto do Partido Socialista afirmar a sua total confiança no executivo municipal e no seu presidente.

 

Comunicado PSD Réplica do PS

          De notar que os alvosdo actual despique se centram nas três vilas do concelho. É a aritmética eleitoral a dar os primeiros passos. Com efeito, todos o sabemos, a grande massa crítica de votos está nas três vilas, e, por isso, todo este alarido na “pré-marcação” de posições para a próxima luta eleitoral. Divertido é o facto da  linguagem dos comunicados, como na Ópera do Judeu,  não ser apenas um meio de expressão mas também o próprio objecto do que é tratado. Ela é, com efeito, o principal motivo de divertimento e teatralidade política. Sob este ponto de vista, o comunicado do PS ganha aos pontos. Começar uma comunicação oficial com uma justificação pública acerca do preço da publicidade é uma verdadeira pérola para deleite da audiência.

          Mas este comunicado é divertido também pelo seu aspecto minimal e imitativo. Vamos por partes. Para contra-argumentação minimal, bastaria pagar apenas meia página de publicidade no jornal local. Depois, esta nota oficial é formalmente um decalque do comunicado dos seus rivais do PSD, senão vejamos: foi publicado na mesma página 15 do mesmo jornal (O Portomosense), com o mesmo número de colunas (6) e com o mesmo tipo de letra. Terá a Comissão Política do PS tomado demasiado a peito a expressão “responder à letra” ? Há apenas duas diferenças formais em relação ao comunicado do PSD: muda o símbolo (pudera!), e o espaçamento entre linhas (a contra-argumentação minimal ao jeito de “curto e grosso” a isso obriga).  
          Entre a ópera “jocosa e séria” de António José da Silva e a teatral troca de comunicados há um reparo a fazer. Enquanto "Guerras do Alegrim e Manjerona" é uma obra profundamente barroca, a presente batalha dos comunicados representa a nossa política local...  tipicamente bacoca.

publicado por Joga às 00:01

link do post | favorito
De pedro oliveira a 19 de Junho de 2008 às 14:29
Bacoca,parola e provinciana,como é apologia de quem é politico na nossa terra.Nunca esquecer,Porto de Mós é uma terra rural(sic).Como tal ,deve preservar as suas formas de vivência em comunidade.Os dois comunicados e principalmente a resposta do PS,está conforme.
Siga para Bingo!
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds