Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Saúde: projectar o futuro

          Respondendo ao nosso pedido de informação, a Administração Regional de Saúde do Centro confirma que o Centro de Saúde de Porto de Mós, organizando-se em Unidades de Saúde Familiar (USF), poderia comportar entre 2 a 4 Unidades.  

 

A quarta USF

 

USF-4

 

          Nesta opção, entra na equação uma quarta USF localizada em Serro Ventoso. As outras três ficariam sediadas no Juncal, em Porto de Mós e  Mira de Aire. Neste caso a USF de Serro Ventoso e a de Mira de Aire ficam praticamente com o número mínimo de utentes necessários (4 mil utentes por USF) para a criação de uma Unidade de Saúde Familiar.
          USF_1 (Juncal): 5 médicos, 5 enfermeiros e 4 administrativos.
          USF_2 (Porto de Mós): 4 médicos, 4 enfermeiros e 4 administrativos.
          USF_3 (Mira de Aire): 3 médicos, 3 enfermeiros e  administrativos.
          USF_4 (Serro Ventoso): 3 médicos, 3 enfermeiros e 3 administrativos.

          A utilização e rentabilização da Extensão de Saúde de Serro Ventoso, quer se mantenha como Extensão de Saúde ou evolua para uma USF, fará sempre parte do Centro de Saúde de Porto de Mós e, segundo Joaquim Gomes da Silva, do Conselho Directivo da ARS Centro, o seu funcionamento deverá “integrar a realidade local com soluções a serem estudadas especificamente”, acrescentando que o objectivo é “rentabilizar os recursos humanos e técnicos e melhorar a acessibilidade e qualidade assistência.” Está, portanto, em aberto a possibilidade de Serro Ventoso poder vir a ter uma Unidade de Saúde Familiar  que serviria uma parte substancial das nossas freguesias serranas (ver caixa ao lado).
          Quanto à construção de novas instalações de saúde na Mendiga, Alqueidão da Serra e Juncal, Joaquim Gomes da Silva diz que a legítima aspiração da população e autarcas “deve ter em atenção a actual política de saúde para os Cuidados de Saúde Primários que privilegia a optimização dos recursos existentes e da capacidade instalada com a reorganização dos Centros de Saúde em unidades - funcionais criação de USF’s e Agrupamentos de Centros de Saúde.”
          Esta “optimização dos recursos existentes” significa que há um desinvestimento em novas infra-estruturas pelo que, se houver o suporte de uma candidatura USF para o Juncal, a construção de novas instalações de saúde naquela vila terá provavelmente um outro acolhimento da Administração Regional.
          Já as futuras instalações de saúde da Mendiga e de Alqueidão da Serra, poderão ter que esperar pelo desenvolvimento da reforma dos Centros de Saúde. A não ser que, por iniciativa própria, as Juntas destas duas freguesias e a Câmara Municipal, implementem a construção das infra-estruturas de saúde recorrendo a auto-financiamento ou à banca, a exemplo aliás, do que foi feito pela Junta de Serro Ventoso com a construção da extensão de saúde local. Mesmo sem se saber com exactidão como vai evoluir a implementação da reforma da saúde, é difícil equacionar a melhoria da acessibilidade e qualidade da assistência médica, numa lógica de proximidade com os utentes, sem ter em conta as extensões de saúde. Tanto mais que elas acolhem sobretudo uma população rural envelhecida, sem meios para se deslocarem ao Centro de Saúde ou à futura USF da sua área de residência.
          Está pois criada a oportunidade de projectar o futuro melhorando a acessibilidade e a prestação de cuidados de saúde no nosso concelho. Assim os profissionais de saúde mantenham o espírito de missão e alguma disponibilidade para a mudança e os nossos políticos não percam visão estratégica ao serviço da causa pública.

publicado por Joga às 00:00

link do post | comentar | favorito

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds