Sábado, 24 de Março de 2007

Zona experimental

Ver a experiência!

          A ZonaTV está na Internet em versão experimental. Independentemente do modelo conceptual cuja viabilidade poderá gerar algumas dúvidas, uma coisa é certa: este projecto revela que as tendências da moda tecnológica também são objecto de experimentação na nossa terra, o que não deixa de ser uma agradável surpresa num concelho com tanta falta de iniciativa e visão de modernidade.

 

          É por isso, com inegável simpatia por este projecto que nos atrevemos a tecer alguns comentários.
          Desde logo, focar o projecto na satisfação das necessidades informativas dos habitantes do concelho de Porto de Mós permite reduzir a área de cobertura noticiosa ao nosso concelho. Esta alteração de modelo de cobertura regional para eminentemente local reduzirá drasticamente os custos de produção e abrirá espaço para um tratamento mais acutilante e vivo das notícias, ao ritmo do nosso concelho. Uma consequência da dispersão é o abuso de notícias em "pivôs soltos" e dos chamados "off2" nas sinteses semanais em detrimento da reportagem, ainda que sintética, dos acontecimentos. Já paradoxal é a utilização de bases telefónicas para "colocar no ar"  "vivos" de protagonistas locais, assim como o número de notícias referentes a Porto de Mós (apenas duas em quatro semanas de sinteses: o anúncio da semana cultural e uma reunião sobre prevenção de incêndios).
          Associado a um modelo comunicacional crossmedia (fusão da linguagem escrita e audiovisual) esta ZonaTV estaria mais adequada às necessidades do ritmo da Internet. Para tal basta que haja integração da plataforma digital que suporta a versão online do jornal O Portomosense com esta nova plataforma. Mas esta é uma concepção alternativa.
          Depois é acertada a opção de difusão de conteúdos audiovisuais através do modelo on demand ou a pedido do utilizador e, a nosso ver, constitui um outro desafio, que por certo estará na mente destes pioneiros, a experimentação ocasional da difusão de eventos ao vivo.
          Um projecto desta natureza ganha sempre que procura ser autêntico e original e perde sempre que procura imitar os modelos dos grandes órgãos de TV na Internet. “Pensar local, agir global” como principio, ganha  neste caso um novo significado: Porto de Mós pode ter a melhor televisão local do mundo mas pode também ser o berço de mais um irrelevante e pretencioso projecto de televisão regional. A Internet é apenas o meio de difusão global. 
          Felicidades para os pioneiros e vida longa para o projecto.

publicado por Joga às 17:08

link do post | comentar | favorito

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds