Sábado, 30 de Dezembro de 2006

2006- Um balanço

 

Total de 749 votos. Votação decorreu de 9 Novembro a 30 Dezembro 2006           A maioria dos visitantes deste blog considera que o primeiro ano de mandato do executivo PS liderado por João Salgueiro não trouxe benefícios para o nosso concelho. O resultado deste inquérito de opinião, não sendo definitivo, não deixa também de ser um bom pretexto para a reflexão sobre a forma como o executivo municipal tem vindo a cumprir o seu mandato.

          NEGATIVO
          O grande revés deste ano foi, sem dúvida, a diminuição, por eventual culpa própria, das verbas inscritas em PIDDAC para a nossa terra. João Salgueiro desvalorizou o facto sem uma justificação e “fugiu em frente” anunciando um conjunto de financiamentos a que o executivo se candidatava, como se estivessem garantidos.
          Depois, a ideia inicial de gerir os recursos humanos com “mão de ferro” veio tornar evidente que as reformas na organização da Câmara só se podem fazer com os funcionários e nunca contra eles. Este foi, talvez, o primeiro “tiro no pé” deste executivo.
          Finalmente, mancharam também o desempenho desta equipa, a liderança a duas vozes (presidente e vice-presidente), o processo da renda do Parque Eólico de Alqueidão da Serra que promete arrastar-se para o próximo ano e ainda o pretenso “rigor das contas” que aproximou a gestão do município daquilo a que é comum chamar-se “gestão de mercearia”.
          A oposição, por sua vez, contribuiu negativamente para a prestação do executivo com o chumbo da taxa da derrama.

          POSITIVO
          A grande vitória política deste ano foi a aprovação do Orçamento para 2007 que prespectiva um bom ano para o concelho.
          Positiva foi também a acção do executivo no acompanhamento das situações de catástrofe que ocorreram este ano, desde incêndios a inundações.
          É de salientar ainda o trabalho árduo da equipa de vereadores executivos que muitas vezes não tem a expressão pública devida, tanto mais que esta equipa tem menos um elemento que os executivos anteriores do PSD, por força do resultado eleitoral.
          Finalmente o inconformismo do presidente Salgueiro não deu mostras de esmorecer. Esta vontade do presidente em “fazer obra”, aliada às suas reconhecidas qualidades humanos, renovam a promessa de uma terra melhor para todos.

          DESAFIOS
          Os nossos decisores políticos deviam cultivar permanentemente uma atitude pró-activa na antecipação e resolução dos problemas com vista à satisfação das necessidades dos munícipes.
          Apesar de tudo e às vezes, a oposição também têm razão nos reparos que faz e nas propostas que apresenta.

publicado por Joga às 15:04

link do post | comentar | favorito

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>feeds