Intervenção cívica. Pela PALAVRA livre e responsável, com Porto de Mós como pano de fundo.

NOTÍCIAS porto de mós

Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

Uma tarifa para a família

          O actual tarifário  de consumo doméstico de água praticado no nosso concelho está revestido de alguma injustiça, quando aplicado a famílias numerosas, uma vez que penaliza fortemente este tipo de agregados familiares. A Tarifa Familiar de Água que lançamos para reflexão pública propõe, por exemplo,  uma redução de 21,6% na conta mensal da água para uma família constituída pelo casal e três filhos.


          Cerca de 30 municípios portugueses, não abdicando da política do “tarifária normal”, que visa penalizar os consumos excessivos, criaram um tarifário opcional chamado “tarifário familiar” que continua a penalizar os consumos excessivos mas desagrava o orçamento das famílias com cinco ou mais elementos. Este tarifário baseia-se nos consumos “per capita” e não no consumo total.
          Corrigir esta flagrante injustiça de as famílias continuarem a pagar a água tanto mais cara quanto maior for a dimensão do agregado familiar está, pois, na ordem do dia. Esta sugestão é, de resto, um caso de aplicação prática de políticas de incentivo à natalidade ou protecção às famílias que constam das bases programáticas dos partidos do bloco central e constitui um desafio para as nossas instituições autárquicas - Câmara e Assembleia Municipal.


        Tarifa Familiar de Água  

           Baseado na proposta da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas e colhendo ecos da aplicação prática da Tarifa Familiar em alguns municípios, apresentamos um guião para a implementação da Tarifa Familiar de Água (TFA) no nosso concelho.


          1 – Os escalões passariam a ser variáveis e determinados pela fórmula:

E+(n-4)x3,6m3

          Em que E é o valor superior do escalão da tarifa normal, n é o número de elementos do agregado familiar e o valor de 3,6 metros cúbicos por mês [m3/mês] corresponde ao padrão internacional de 120 litros por dia por pessoa, multiplicado por 30 dias do mês. (No nosso concelho o valor médio de consumo diário é de 274 litros por habitante mas este número está eventualmente "inflaccionado"  pelo desperdício de água nas rupturas constantes).
          Por exemplo, para uma família do nosso concelho com 6 pessoas no agregado familiar, o primeiro escalão seria:


5+(6-4)x3,6= 12,2 m3


          2 – Cada família candidata à TFA teria que fazer prova todos os anos da sua dimensão, apresentando, junto do Serviço Municipal de Águas e Saneamentoa, a folha de IRS ou atestado passado pela sua Junta de Freguesia .
          Esta fórmula parte do pressuposto que o tarifário normal está ajustado para uma “família média” constituida por um casal com 2 filhos, isto é, de 4 pessoas. Daí, ser aplicada uma “correcção” para famílias com mais elementos.
          Refira-se, a título de curiosidade, que a “família média” é actualmente composta por 2,78 pessoas (Censos de 2001), isto é, bem inferior às 4 pessoas por família consideradas neste guião. A “família média” é tendencialmente o casal com um filho.

Tarifa normal (em vigor)

1º ESCALÃO (0,51€/m3)

2º ESCALÃO (0,86€/m3)

3º ESCALÃO (1,02€/m3)

4º ESCALÃO (1,53€/m3)

5º ESCALÃO (2,65€/m3)

0-5 m3

6-10 m3

11-15 m3

16-25 m3

+25 m3

 Tarifa Familiar (proposta)

FAMÍLIA

 ESCALÃO (0,51€/m3)

2º ESCALÃO (0,86€/m3)

3º ESCALÃO (1,02€/m3)

4º ESCALÃO (1,53€/m3)

5º ESCALÃO (2,65€/m3)

5 Pessoas

 0-9 m3

10-14 m3

15-19 m3

20-29 m3

+30 m3

6 Pessoas

0-12 m3

13-17 m3

18-22 m3

23-32 m3

+33 m3

7 Pessoas

0-16 m3

17-21 m3

22-26 m3

27-36 m3

+37 m3

8 Pessoas

0-19 m3

20-24 m3

25-29 m3

30-39m3

+40 m3

9 Pessoas

0-23 m3

24-28 m3

29-33 m3

34-43 m3

+44 m3

10 Pessoas

0-27 m3

28-32 m3

33-37 m3

38-47 m3

+48 m3

 

         Municípios pioneiros

            Dos cerca de 30 municípios que já introduziram a Tarifa Familiar de Água, 17 são geridos por executivos PSD e 11 por executivos PS. O município de Sintra(PSD) foi o primeiro a estudar e implementar o tarifário. Seguiram-se os municipios de Coimbra(PSD), Évora(PS), Lisboa(PS), Porto(PSD), Portimão(PS), Ribeira Grande(PS), Condeixa(PS), Aveiro(PSD-CDS), S.João da Madeira(PSD), Tavira(PSD), Montijo(PS), Fundão(PSD), Funchal(PSD), Machico(PSD), Santa Cruz(PSD), Santarém(PSD), Oeiras(IND), Amadora(PS), Odemira(PS), Viseu(PSD), Braga(PS), Vila Real(PSD), Ponta Delgada(PSD), Câmara de Lobos(PSD), Famalicão(PSD), Gaia(PSD), Leiria(PSD), Torres Vedras(PS) e Vila Nova da Barquinha(PS).

            A título de curiosidade, acrescentamos que esta tarifa foi também apresentada pelo PS na Assembleia Municipal de Almada mas a maioria CDU e BE recusaram-na alegando, no clássico estilo comunista, que  a tarifa familiar "tanto serve para pagar a água à família que tem dificuldades em pagar seja o que for como para encher a piscina da vivenda de quem pode pagar muito mais".

          Analisando o Tarifário Familia de Água de uma forma puramente contabilística,  resta saber quanto está disposto a pagar o nosso município pela aplicação de uma medida política de manifesta justiça social.

publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | favorito

>alerta gripe A

Clique aqui

Veja AQUI as recomendações do Departamento de Saúde Pública do Ministério da Saúde.

 

 

>pensamento do mês

 

>bloco de notas

 
   
>twitter

Segue-me em http://twitter.com
 
 

>vox pop

>iniciativas

 

PrémioPM

saber mais

ver candidatos

 

>videos


 

Impulso Tecnológico

Vídeo-documento

Quebar barreiras

Concelho turístico

Prevenir, prevenir, prevenir

Espírito de Natal

Há Movimento na Serra

PDM com Rosto Humano

>pensamento lógico

 

JUNHO

MAIO 09

ABRIL 09

MARÇO 09

FEVEREIRO 09

JANEIRO 09

DEZEMBRO 08

NOVEMBRO 08

OUTUBRO 08

SETEMBRO 08

AGOSTO 08

 JULHO 08 

 JUNHO 08

MAIO 08

ABRIL 08

MARÇO 08

FEVEREIRO 08

JANEIRO 08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>this in English

>feeds