Intervenção cívica. Pela PALAVRA livre e responsável, com Porto de Mós como pano de fundo.

NOTÍCIAS porto de mós

Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

O legado

          A história é testemunha da miríade de episódios de que é feita a luta colectiva pelo desenvolvimento do nosso concelho e das nossas freguesias. Revisitando o legado único deixado ao nosso conhecimento pelo punho do alqueidanense senhor Alfredo de Matos, confirmamos as suspeitas. Nos últimos cem anos, nada mudou na lógica de funcionamento da administração municipal para o desenvolvimento do concelho.

          Desde 1879 que a estrada de Porto de Mós para o Alqueidão da Serra andava em obras de construção e beneficiação sem que nunca mais fosse dada por concluída. Sempre que havia eleições, lá estava a estrada no centro das promessas. Mas em 17 de Outubro de 1970, o fatalismo foi vingado. Ao fim de mais de 3 mil dias de trabalho voluntário e gratuito, o povo daquela freguesia unido em torno de um ideal de progresso para a terra,  inaugura a estrada que liga a Carreirancha aos Bouceiros. Alfredo de Matos deixa-nos o relato vivo e impressivo “de promessas e obras de tantas e tantas Vereações municipais, que tiveram qualquer implicação com a estrada (Porto de Mós - Alqueidão), à custa dos dinheiros públicos que lhes deram aso de fazer mas, nunca, de terminar. À contraluz desta verdade real, rebrilha ofuscantemente, o magnífico esforço colectivo do Povo que levou a bom termo, em mingados anos, obra mais completa e mais árdua que aquela que, perto de nove dezenas deles, ainda ficou por acabar.
     Honra ao seu devotado amor ao trabalho, à sua invencível tenacidade, à sua lúcida inteligência, ao seu imenso espírito de sacrifício e de agremiação social para o bem de todos!. Glória à sua exemplar modéstia e à sua relevante humildade – virtudes que tanto exaltam e dignificam um Povo.”
          Hoje, as “estradas do nosso desenvolvimento” são o Abastecimento de Água e Saneamento Básico, por exemplo. O que mudou foi a vontade do povo que parece já não estar disposto a fazer com tanta facilidade favores aos políticos locais, tão farto que está de ser ludibriado.

publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Guerras do Alegrim e Manjerona

          A resposta do PS ao comunicado do PSD mais parecem uma nova versão das Guerras do Alecrim e Manjerona, uma ópera joco-séria datada de 1738 da autoria de António José da Silva (o Judeu). Como tomada de posição politicamente relevante, fica apenas o facto do Partido Socialista afirmar a sua total confiança no executivo municipal e no seu presidente.

 

Comunicado PSD Réplica do PS

          De notar que os alvosdo actual despique se centram nas três vilas do concelho. É a aritmética eleitoral a dar os primeiros passos. Com efeito, todos o sabemos, a grande massa crítica de votos está nas três vilas, e, por isso, todo este alarido na “pré-marcação” de posições para a próxima luta eleitoral. Divertido é o facto da  linguagem dos comunicados, como na Ópera do Judeu,  não ser apenas um meio de expressão mas também o próprio objecto do que é tratado. Ela é, com efeito, o principal motivo de divertimento e teatralidade política. Sob este ponto de vista, o comunicado do PS ganha aos pontos. Começar uma comunicação oficial com uma justificação pública acerca do preço da publicidade é uma verdadeira pérola para deleite da audiência.

          Mas este comunicado é divertido também pelo seu aspecto minimal e imitativo. Vamos por partes. Para contra-argumentação minimal, bastaria pagar apenas meia página de publicidade no jornal local. Depois, esta nota oficial é formalmente um decalque do comunicado dos seus rivais do PSD, senão vejamos: foi publicado na mesma página 15 do mesmo jornal (O Portomosense), com o mesmo número de colunas (6) e com o mesmo tipo de letra. Terá a Comissão Política do PS tomado demasiado a peito a expressão “responder à letra” ? Há apenas duas diferenças formais em relação ao comunicado do PSD: muda o símbolo (pudera!), e o espaçamento entre linhas (a contra-argumentação minimal ao jeito de “curto e grosso” a isso obriga).  
          Entre a ópera “jocosa e séria” de António José da Silva e a teatral troca de comunicados há um reparo a fazer. Enquanto "Guerras do Alegrim e Manjerona" é uma obra profundamente barroca, a presente batalha dos comunicados representa a nossa política local...  tipicamente bacoca.

publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 12 de Junho de 2008

A nossa selecção

          Portugal inteiro está com o coração na Suiça. Das bancadas do estádio onde a Selecção joga, ecoa a alma de cada vila, de cada aldeia deste país no apoio incondicional à Selecção Nacional. E o nosso concelho também está presente. É visível uma claque da freguesia de Alqueidão da Serra que, esperamos, nos represente com civísmo, fervor e fair-play.

 

"ALQUEIDÃO DA SERRA APOIA A NOSSA SELECÇÃO"

        Nós que ficamos, impregnados pelo espírito da vitória, ousamos sonhar. E sonhamos com um concelho melhor, politica e socialmente mais evoluído, competitivo no quadro regional, próspero e com mais qualidade de vida. No campeonato do desenvolvimento local, a nossa selecção é composta apenas pelas ideias expressas neste blogue e apresentadas numa convencional táctica 4x4x2.

 

BALIZA:
     Prevenir, prevenir, prevenir
     A prevenção de calamidades como o fogo, as inundações ou a contaminação dos lençóis freáticos exige pedagogia e sensibilização da população para a defesa do Meio Ambiente e da Natureza.

 

DEFESA:
     Obviamente reclamamos
     A defesa dos direitos dos consumidores, mais do que um exercício de cidadania, é um dever das nossas instituições democráticas.
     Quebrar barreiras
     A mobilidade de todos os cidadãos no espaço público tem de ser vista como uma prioridade estratégica de desenvolvimento da nossa terra.
     Uma tarifa para a família
     A flagrante injustiça das famílias continuarem a pagar a água tanto mais cara quanto maior for a dimensão do agregado familiar revela também um défice de solidariedade no apoio social às famílias mais numerosas.
     Petição IMI mínimo
     Na defesa da legalidade, fica para a história a primeira petição electrónica do nosso município. A cidadania também se exerce através das tecnologias de informação. Os cidadãos estão mais despertos.

 

MEIO-CAMPO:
     Política da nova geração
     Para o aprofundamento da democracia no município, continua a fazer falta uma Associação de Freguesias do Concelho de Porto de Mós. Parceira do desenvolvimento local e bloqueadora de eventuais ímpetos autoritários e vingativos do executivo municipal, seja ele qual for.
     Saúde: projectar o futuro
     O Sistema Nacional de Saúde está a sofrer profundas reformas. O executivo municipal deve estar atento ao sentido dessas reformas para poder capitalizar em favor dos munícipes as virtudes da mudança. Há três freguesias que esperam novas extensões de saúde.
     Ruptura na política da água
     Os constantes problemas no abastecimento de água e saneamento devem obrigar a um novo olhar sobre este serviço que a Câmara presta aos seus munícipes. Para já, perdemos a locomotiva do Quadro de Referência Estratégico (QREN) que transporta os financiamentos para tais infra-estruturas.
     Uma escola encantadora
     O blogue dos Pequenos Jornalistas do Jardim de Infância da Tremoceira é, na blogosfera do nosso concelho, um dos sítios mais bonitos e um sinal dos tempos. Ele é o  reflexo de abordagens pedagógicas inovadoras com recurso às tecnologias de informação e comunicação. O Jardim de Infância, esse, continua com uma velocidade de internet medíocre como “prémio” por tamanha inovação. Não obstante a promessa do vereador Rui Neves…


ATAQUE:
     A 14ª freguesia
     O uso das tecnologias da informação está a generalizar-se nos lares portomosenses, sinal de que o modelo do nosso desenvolvimento local está a mudar de paradigma. Só a Câmara parece teimar em não ver isso.
     Concelho turístico
     Vale a pena insistir. Porto de Mós carece de uma marca de originalidade, de uma ideia que atraia visitantes pela inovação dos produtos turísticos que pode vir a oferecer. Algures entre o Turismo de Natureza e o Turismo Cultural/Monumental…

publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

Argumentário Maio


           "Junta paga 1600 cafés com 'cheirinho' a vento"
          ► TÍTULO Região de Leiria, acrescentando tratar-se de um brinde ao futuro da freguesia de Alqueidão da Serra por ocasião da celebração de novo contrato eólico.

PensarAnimado
          "O povo e as instituições da freguesia deram um apoio extraordiário."
          ►
HELDER PAULINO, presidente da Junta de Calvaria de Cima no balanço da Semana Cultural realizada naquela freguesia, in O Portomosense.
          "[A ponte de Rio Cavaleiro] está em perigo sobretudo quando o rio leva grandes enxurradas."
          ►
ANTÓNIO JOSÉ TEIXEIRA, deputado municipal, que pretende criar uma comissão para a classificação e recuperação daquela ponte medieval, in O Portomosense.
          "Estamos a tentar ter o novo PDM concluído durante o próximo ano."
          ►
JORGE CARDOSO, vereador do Urbanismo, in Região de Leiria
          "Recuso-me a discutir assuntos de blogues em reuniões da Câmara."
          ►
JOÃO SALGUEIRO, presidente da Câmara, in Jornal de Leiria.
     
     
© Statler & Waldorf são dois personagens da série "The Muppet Show", uma criação de Jim Henson.
publicado por Joga às 00:01

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

>alerta gripe A

Clique aqui

Veja AQUI as recomendações do Departamento de Saúde Pública do Ministério da Saúde.

 

 

>pensamento do mês

 

>bloco de notas

 
   
>twitter

Segue-me em http://twitter.com
 
 

>vox pop

>iniciativas

 

PrémioPM

saber mais

ver candidatos

 

>videos


 

Impulso Tecnológico

Vídeo-documento

Quebar barreiras

Concelho turístico

Prevenir, prevenir, prevenir

Espírito de Natal

Há Movimento na Serra

PDM com Rosto Humano

>pensamento lógico

 

JUNHO

MAIO 09

ABRIL 09

MARÇO 09

FEVEREIRO 09

JANEIRO 09

DEZEMBRO 08

NOVEMBRO 08

OUTUBRO 08

SETEMBRO 08

AGOSTO 08

 JULHO 08 

 JUNHO 08

MAIO 08

ABRIL 08

MARÇO 08

FEVEREIRO 08

JANEIRO 08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

>posts recentes

> Inauguração

> Argumentário

> Rescaldo eleitoral

> Voto com sentido

> Pré-campanha quente

> Debate autárquico - 2ª Pa...

> Debate autárquico - 1ª Pa...

> Argumentário de Agosto

> Ambientalistas contra par...

> Argumentário de Julho

> O filho pródigo

> Felicidades, Júlio Vieira

> Argumentário de Junho

> Uma questão pessoal

> Um Concelho de Freguesias

> Vêm aí o S. Pedro

> Argumentário de Maio

> Um repto

> Vida de repórter

> Não há factos, só silênci...

>pensar

>edição

>pesquisar

 

>arquivos

> Outubro 2009

> Setembro 2009

> Agosto 2009

> Julho 2009

> Junho 2009

> Maio 2009

> Abril 2009

> Março 2009

> Fevereiro 2009

> Janeiro 2009

> Dezembro 2008

> Novembro 2008

> Outubro 2008

> Setembro 2008

> Agosto 2008

> Julho 2008

> Junho 2008

> Maio 2008

> Abril 2008

> Março 2008

> Fevereiro 2008

> Janeiro 2008

> Dezembro 2007

> Novembro 2007

> Outubro 2007

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

> Junho 2007

> Maio 2007

> Abril 2007

> Março 2007

> Fevereiro 2007

> Janeiro 2007

> Dezembro 2006

> Novembro 2006

> Outubro 2006

> Agosto 2006

> Julho 2006

>this in English

>feeds